FRUTOS DO ESPIRITO SANTO


O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO NA VIDA DOS JOVENS E ADULTOS CRISTÃOS

Gálatas 5. 19-23
Introdução:
AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO

"Porque as obras da carne são exteriorizar, como São quais: prostituição, impureza, Lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, Acerca das Quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de DEUS. Mas o fruto do ESPÍRITO é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, Mansidão, Temperança. Contra essas coisas não há lei "
Nenhum trecho da Bíblia mais apresenta um nítido contraste entre o modo de vida do crente cheio do ESPÍRITO e aquele controlado pela natureza humana pecaminosa do Gl.5.16 que-26. Paulo não somente exames a diferença geral do modo de vida desses dois tipos de crentes, ao enfatizar que o ESPÍRITO ea carne estão em conflito entre si, mas também inclui uma lista específica tanto das obras da carne, como do fruto do Espírito.
OBRAS DA CARNE. "Carne" (gr. sarx) é a natureza pecaminosa com seus desejos corruptos, a qual continua no cristão Após a sua conversão, sendo seu inimigo mortal (Rm 8.6-8,13; Gl 5.17,21). Aqueles que praticam as obras da carne não poderão Herdar o reino de DEUS (5,21). Por isso, essa natureza carnal pecaminosa precisa ser resistida e mortificada numa guerra espiritual contínua, que o crente trava Através do poder do ESPÍRITO SANTO (Rm 8,4-14; ver Gl 5,17). As obras da carne (5.19-21) Incluem:

(1) "Prostituição" (gr. porneia), ie, imoralidade sexual De todas as formas. Isto inclui, também, gostar de quadros, filmes ou publicações pornográficos (cf. Mt 5,32; 19,9; At 15.20,29; 21,25; 1Co 5,1). Os moicheia Termos e porneia são traduzidos por um só em português: prostituição.
(2) "Impureza" (gr. Akatharsia), ie, pecados sexuais, atos Pecaminosos e vícios, inclusive maus pensamentos e desejos do coração (Ef 5,3; Cl 3,5).
(3) "Lascívia" (gr. aselgeia), ou seja, sensualidade. É a pessoa seguir suas paixões e maus desejos Próprias um ponto de perder a vergonha ea decência (2Co 12,21).
(4) "Idolatria" (gr. eidololatria), ou seja, uma adoração de espíritos, pessoas ou ídolos, e também uma confiança numa pessoa, Instituição ou objeto como se tivesse Autoridade igual ou maior que DEUS e sua Palavra (Cl 3,5).
(5) "Feitiçarias" (gr. pharmakeia), ie, espiritismo, magia negra, adoração de demônios eo uso de drogas e outros materiais, na prática da feitiçaria (Êx 7.11,22; 8,18; Ap 9,21; 18,23).
(6) "Inimizades" (gr. echthra), ie, intenções e ações fortemente hostis; antipatia e Inimizade extremas.
(7) "Porfias" (gr. eris), ie, brigas, oposição, luta por superioridade (Rm 1,29; 1Co 1,11; 3,3).
(8) "Emulações" (gr. zelos), ie, ressentimento, inveja amarga do sucesso dos outros (Rm 13,13; 1Co 3,3).
(9) "Iras" (gr. thumos), ie, ira ou fúria explosiva que irrompe através de palavras e ações violentas (Cl 3,8).
(10) "Pelejas" (gr. eritheia), ie, ambição egoísta ea cobiça do poder (2Co 12,20; Fp 1.16,17).
(11)"Dissensões " (gr। hairesis), ie, grupos divididos dentro da congregação, formando conluios egoístas que destroem uma igreja da unidade (1 Coríntios 11,19)।
(12) " Heresias " (gr। dichostasia), ou seja, Introduzir cismáticos Ensinos na congregação sem qualquer na Palavra de DEUS (Rm 16,17).
(13) "Invejas" (gr. fthonos) ie, antipatia ressentida contra outra pessoa que Possui algo que não temos e queremos.
(14) "Homicídios" (gr. phonos), ou seja, matar o próximo por perversidade. A tradução do termo phonos na Bíblia de Almeida está embutida na tradução de methe, a seguir, por tratar-se de práticas conexas.
(15) "Bebedices" (gr. methe), ie, descontrole das faculdades físicas e mentais por meio de bebida embriagante.
(16) "Glutonarias" (gr. komos), ie, diversões, festas com comida e bebida de modo extravagante e desenfreado, Envolvendo Drogas, sexo e coisas semelhantes.
As palavras finais de Paulo sobre as obras da carne são Severas e enérgicas: quem se diz crente em Jesus e participa dessas atividades iníquas exclui-se do Reino de Deus, ou seja, não terá salvação (5.21; ver 1Co 6,9).

O FRUTO DO ESPÍRITO.
Em contraste com as obras da carne, temos o modo de viver íntegro e honesto que a Bíblia chama "o fruto do Espírito".
Esta maneira de viver se realiza nenhum crente à medida que ele Permite que o ESPÍRITO dirija e influencie sua vida de tal maneira que ele (o crente) subjugue o poder do pecado, especialmente as obras da carne, e ande em comunhão com DEUS (ver Rm 8,5-14; 8,14, cf. 2Co 6,6; Ef 4.2,3; 5,9; Cl 3,12-15; 2Pe 1.4-9). O Fruto do ESPÍRITO inclui:
(1) "Caridade" (gr. ágape), isto é, Amor Ágape, é o interesse ea busca do bem maior de outra pessoa sem nada querer em troca (Rm 5,5; 1Co 13; Ef 5,2; Cl 3,14).
(2) "Gozo" (gr. chara), ie, uma sensação de alegria Baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de DEUS, bênçãos estas que pertencem Aqueles que creem em CRISTO (Sl 119,16; 2Co 6,10; 12,9; 1Pe 1,8; ver Fp 1.14).
(3) "Paz" (gr. Eirene), ou seja, uma quietude de mente e coração, Baseada na Convicção de que tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial (Rm 15,33; Fp 4,7; 1Ts 5,23; Hb 13,20).
(4) "Longanimidade" (gr. Makrothumia), ie, perseverança, paciência, ser tardio para irar-se ou para o desespero (Ef 4,2; 2Tm 3,10; Hb 12,1).
(5) "benignidade" (gr. chrestotes), isto é, não querer magoar ninguém, nem lhe provocar dor (Ef 4,32, Cl 3,12; 1Pe 2,3).
(6) "Bondade" (gr. agathosune), ie, zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7,37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21,12 , 13).
(7) "Fidelidade" (gr. pistis), constante, isto é, uma inabalável lealdade e alguém com quem estamos unidos por promessa, compromisso, fidedignidade e honestidade (Mt 23,23; Rm 3,3; 1Tm 6,12; 2Tm 2,2; 4,7; Tt 2,10) .
(8) "Mansidão" (gr. prautes), ou seja, moderação, associada à força e à coragem; descrevê alguém que pode irar-se com eqüidade quando for necessário, e também humildemente Submeter-se quando for preciso (2Tm 2,25; 1Pe 3,15; para um Mansidão de JESUS, cf. Mt 11,29 com 23; Mc 3,5; um Paulo de, cf.2Co 10,1 COM 10,4-6; Gl 1,9; um de Moisés, cf. Nm 12,3 Com ex 32.19,20).
(9) "Temperança" (gr. egkrateia), ou seja, o controle ou Domínio Próprios sobre nossos desejos e paixões, inclusive a fidelidade aos votos conjugais; também pureza (1Co 7.9; Tt 1,8; 2,5).
O ensino final de Paulo sobre o fruto do ESPÍRITO é que não há qualquer restrição quanto ao modo de viver aqui indicado। O crente pode - e realmente DEVE - praticar essas virtudes continuamente. Nunca haverá uma lei que lhes impecão de viver segundo os Princípios aqui descritos.
Rm 8
1 Portanto, agora, nenhuma Condenação há para os que estão em CRISTO JESUS, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
2 Porque a lei do ESPÍRITO de vida, em CRISTO JESUS, me livrou da lei do pecado e da morte.
3 Porquanto, o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, DEUS, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne,
4 Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.
5 Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne, mas os que são segundo o ESPÍRITO para as coisas do Espírito.
6 Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do ESPÍRITO é vida e paz.
7 Porquanto uma inclinação da carne é Inimizade contra DEUS, pois não é sujeita a lei de DEUS, nem, em verdade, o pode ser.
8 Portanto, os que estão na carne Não podem agradar a DEUS.
9 Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o ESPÍRITO de DEUS habita em vós. Mas, se alguém não tem o ESPÍRITO DE CRISTO, esse tal não é dele.
10 E, se vós ESTÁ EM CRISTO, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça.
11 E, SE O ESPÍRITO daquele que ressuscitou dos mortos um Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou uma CRISTO vivificará também o vosso corpo mortal, pelo seu Espírito que habita em vós.
12 De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne,
13 Porque mortificardes, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito como obras do corpo, vivereis.
14 Porque todos mos que são Guiados pelo Espirito de Deus, esses são filhos de DEUS.

Estamos buscando a excelência não cristão COMPORTAMENTO E para tanto, devemos estar bem esclarecidos quanto a atuação do Espírito Santo nossas vidas em.
Nesse estudo, veremos algo sobre o tão discutido Fruto do Espírito Santo, que aparece em Gálatas 5, buscando definir o que é o Fruto do Espírito Santo e Como Deve ser a nossa conduta cristã, se motivados por esse Fruto.
1. O que é o Fruto do Espírito Santo:
O apóstolo Paulo discorre sobre esse tema em Gálatas 5,22-23, em contraposição com as obras da carne, Gálatas 5,19. É importante ressaltar que a palavra para obras no verso 19 e omnes, ERGON verbo fazer, trabalho, que no contexto tem uma idéia de ação, ATITUDES.
Com relação ao fruto do Espírito Santo o apóstolo afirma que é um conjunto de virtudes :nove, a saber, "amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, Mansidão e Domínio Próprio". Na verdade essas virtudes Constituem o propósito eo alvo de Deus para os crentes quando nos permitimos ao controle irrestrito do Espírito Santo. É o próprio Espírito Santo em nós quem Produz essas virtudes.
Podemos até dividir este fruto em três MODULOS
O primeiro, AMOR, ALEGRIA E PAZ, diz respeito principalmente ao nosso relacionamento com Deus।
O segundo, LONGANIMIDADE, benignidade e BONDADE, trata do nosso relacionamento
O terceiro módulo, FIDELIDADE, Mansidão CONTROLE PRÓPRIO, trata do nosso relacionamento com o nosso próprio eu, com o aquilo que somos,nosso interior.

Na verdade, quando juntamos e analisamos o Fruto do Espírito Santo como um todo, podemos defini-lo como um MARAVILHOSA DESCRIÇÃO DO CARÁTER DE CRISTO que devemos adquirir dia a dia pelo estudo bíblico e comunhão devocional com o Senhor. Somente quando tais virtudes Tornam-se perceptíveis em nossas vidas podemos entender o que é ser um cristão cheio do Espírito Santo.
Vejamos cada módulo e cada virtude em particular.

2. Nossa Relação com Deus: Amor, Alegria e Paz - Gálatas 5,22:
2,1 Amor: A palavra no original é ÁGAPE altruísta, amor. Mais amor É do que emoções. Não é apenas um sentimento, é ação. O verdadeiro amor em favor de idade do outro. Foi assim o amor de Deus para conosco, João 3.16 e Romanos 5.8. A ordem para amar não é opcional. O amor ao próximo é o primeiro sinal de que nascemos de novo e que o Espírito Santo atua em nós. Não podemos agir diferente de Jesus que manifestou amor, Marcos 10,13-16, como crianças, Marcos 10,21, ao jovem rico; João 11,36, um Lázaro e Lucas 19,41-44, a Jerusalém.
O amor é uma virtude que DEVE estar acima de QUAISQUER circunstâncias em nossas vidas. Se "amarmos um Deus sobre todas as coisas", não teremos problemas com o próximo e nem com um mesmo gente, Mateus 22,34-40.
2,2 Alegria: O termo no original é CHARA, que tem o significado de "Alegria de Viver". A palavra tem a mesma raiz de charis, graça, o que denota uma idéia geral de regozijo. O mundo de hoje não tem alegria, não consegue achar a fonte da verdadeira alegria e contentar-se com prazeres superficiais, por isso o sistema mundial é repleto de desilusões e sombras. Deus dirige sua alegria pelo Espírito Santo para nossas vidas tristes e cheias de problemas, fazendo-nos entender que uma alegria espiritual, o regozijo no Senhor, independe das circunstâncias. Este termo, CHARA, como alegria, aparece 60 vezes no Novo Testamento e Jesus nos dá exemplo de que uma vida alegre para com Deus resulta em bem-estar espiritual, psicológico e social, João 2.2, João 15,11, e Hebreus 12.2.
"A alegria é a bandeira que tremula na torre do palácio quando o rei está presente".

2,3 Paz: O termo no original é Eirene, paz, harmonia. A palavra paz entrou nenhum Novo Testamento com uma história grandiosa por traduzir o termo hebraico SHALON, com paz que significa o sentido de conjunto de "tudo quanto contribui para o bem do homem". Quando nos entregamos um Preocupações limitamos uma ação do Espírito Santo em nossas vidas e isso prejudica nossa relação íntima com Deus. A paz de Deus em nossas vidas é precedida pela paz com Deus, que é muito mais do que ausência de conflitos internos ou externos, visto que a paz do Espírito Santo não depende de circunstâncias felizes por ser um estado de alma, tal qual o ensino de Jesus em Mateus 6.25, que se completa quando olhamos para João 14,27 e 16,33. A paz do Espírito Santo nossas vidas em, na nossa relação pessoal com Deus, é como Paulo afirma em Filipenses 4.7, que uma extrapolação Capacidade de compreensão. Em meio a crises, quando tudo parece perdido, temos paz com Deus.
Vejamos agora o segundo módulo Fruto desse maravilhoso, que trata das relações interpessoais numa linha horizontal, homem-homem.
3. Nossas Relações Interpessoais: Longanimidade, benignidade e Bondade - Gálatas 5,22:
3,1 Longanimidade: O termo no original é Makrothumia. Não é uma palavra composta, mas sua formação tem dois significativos radicais, MAKRO, grande, extenso e THÚMIA (derivados de Thumos, ânimo, disposição), que significa Associadas Paciência, LONGANIMIDADE, perseverança e até mesmo a firmeza. É uma qualidade dada pelo Espírito Santo para se tolerar, pacientemente, os defeitos dos outros, não se deixando arrebatar por Explosões, de furor e ira, que pueden dificultar e até mesmo romper o relacionamento interpessoal. Longanimidade é a tolerância que suporta as injurias e as ações malignas do outro sem Permitir-se a ira ou uma ânsia de vingança. Na verdade, é a capacidade de resistência às controvérsias. Essa mesma idéia de longanimidade é utilizada para expressar uma atitude de Deus para com nossos pecados e para descrever uma virtude de ter-se paciência para com as pessoas, suas fraquezas, falhas, ignorância e pecados. Jesus, como homem, nos deixou alguns exemplos de longanimidade tais como os registrados em Mateus 15,15-20, Mateus 16,5-12 Lucas 9,51-55 e João 13,3-5. Se exercitarmos um longanimidade nas pequenas frustrações e nas pequenas irritações diárias, estaremos preparados para resistir grandes batalhas.
A longanimidade como virtude que integra o Fruto do Espírito Santo que Deve Ser nossas vidas em fato. É o brilho transcendente de um coração amoroso e meigo no trato para os outros com.
3,2 benignidade: O termo não CHRESTOTES original é bondade, que significa gentileza,. Esse termo também serve para indicar EXCELÊNCIA DE CARÁTER. Podemos dizer que a idéia seria de alguém cheio de Espírito Santo, que mantém sua Integridade de caráter, expressando gentileza e delicadeza visando inibir uma rudez ea grosseria do outro, bem como uma sua própria. Muitas vezes em nosso desprezo pelo pecado nos tornamos rudes e grosseiros com o pecador. A benignidade é justamente um Capacidade de se perder Exercer uma justiça sem compaixão.
Numa cultura ocidental como machista, a nossa, é muito difícil Exercer uma gentileza sem ser criticado ou estigmatizado. Sempre se coloca em dúvida gestos de delicadeza que, visto só uma gentil e sociedade em busca de seus Interesses. Não podemos agir assim, se manifestamos o Fruto do Espírito Santo nossas vidas em. A benignidade, que é uma gentileza que expressa um Integridade da alma, deve ser uma realidade entre os cristãos. Jesus O melhor exemplo e padrão de benignidade, embora o termo não apareça, é o de na profecia de Isaías 42,1-4, verso 3 em especial.
Um coração gentil é um coração contrito que chora pela dificuldade dos maus e pela Integridade dos bons.
3,3 Bondade: O termo não é original CHRESTOTES ou AGATHOSUNE que são termos como que sinônimos e ambos significam, BONDADE, RETIDÃO GENEROSIDADE ou. Refere-se a qualidade das pessoas que são guiadas pelo bem e Desejam que o que é bom, o que representa os mais Elevados conceitos morais e éticos. No contexto bíblico, afirmar que alguém é bom é dizer que esta pessoa é semelhante a Deus. Verificamos tal virtude em uma pessoa quando esta se dispõe ajudar um Aqueles que passam por Necessidades. Bondade, como elemento do Fruto do Espírito Santo, é a qualidade do cristão em ser generoso, de atitudes gentis, para com os sem Outros interesses escusos, mas de maneira natural, como conseqüência de um caráter bondoso. Jesus no trato com as pessoas agia de forma bondosa um ponto de afirmarem sobre ele: "Ele é bom", João 7,12.
A bondade como Fruto do Espírito Santo depende do caráter cristão desenvolvido, visto que uma bondade é uma forma especial de verdade e beleza nenhum comportamento humano guiado pelo Espírito Santo.
Vimos como 3 virtudes do segundo módulo do Fruto do Espírito Santo e em seguida estudaremos o terceiro módulo, que fala de três virtudes que devemos ter nenhum relacionamento com o nosso próprio eu.
4. Nosso Relacionamento com o nosso interior: Fidelidade, Mansidão e Domínio Próprio - Gálatas 5,22-23:
4,1 Fidelidade: O termo no original é pistis, fidelidade, confiabilidade, fidedignidade. No Novo Testamento o termo PISTIS significa fé, quando fala de virtudes teológicas. É a fé que salva. Mas no caso dessa lista de Gálatas 5,22-23 como virtudes éticas são alistadas, daí não errarmos quando traduzimos o termo por fidelidade, que é o torna uma pessoa totalmente confiável e Cujas palavras podemos aceitar plenamente Devido a sua veracidade. O crente Deve Ser honesto, digno e Fidedigno. Alguém cheio do Espírito Santo é alguém com quem podemos abrir o coração, e até confessar pecados, porque ele não vai correndo passar a diante. Alguém dotado de Fidelidade sabe guardar os segredos que são o desabafo da alma. Infelizmente isso não é fato na igreja. Graças a Deus uma infidelidade do homem não anula uma fidelidade de Deus Mateus 26,52-54. Fidelidade nas pequenas coisas é o mais seguro teste de caráter, como ensinado por Jesus em Mateus 25,21.
A falta de fidelidade é sinal de imaturidade espiritual. O maior teste para nossa fidelidade é avaliarmos nossa dedicação a Deus eo quanto as pessoas pueden abrir seus segredos e suas verdades para conosco sem que isto vire fofoca. É motivo de oração.
4,2 Mansidão: O termo não é PRAÚTES original, que numa tradução mais literal significa placidez, suavidade. Essa é uma virtude que exalta a terceira Bem-aventurança. É uma qualidade de caráter do indivíduo não trato consigo mesmo. Mansidão é poder, é força, é temperamento e violência sob controle. A agressão ao próximo é o reflexo de um investimento emocional de agressão a si mesmo. Mansidão como elemento do Fruto do Espírito Santo é resultado da nossa humildade e da nossa resignação a Deus. Mesmo em atmosferas hostis o crente pode e DEVE Desenvolver Mansidão.
O crente que vivência Mansidão é um prisma zenit como que o espectro solar sobre os icebergues da nossa carnalidade. Jesus deu exemplos de Mansidão e Afirmou ser manso, Mateus 11,28-29, o que se confirma por profecias tais como as de Zacarias 9.9. Outros exemplos marcantes são o de Pedro eo de João, o "Filho do Trovão", que se Tornou o "Apóstolo do Amor".
É fácil cobrar dos outros uma postura mansa, o difícil é sermos mansos. A Mansidão é uma virtude que o mais vívido reflexo de que os nossos Próprios Conflitos emocionais e nossas frustrações pessoais estão resolvidos ou sob controle.
4,3 Domínio Próprio: O termo no original é EGKRÁTEIA. Algumas versões traduzem por temperança ou autodomínio. Numa tradução bem mais sentir o termo significa DOMÍNIO PRÓPRIO, ou seja, vitória sobre o desejo. Este mesmo termo é utilizado para Designar o controle sobre desejos sexuais e ainda pode ser associado um Resignação disciplinar auto-imposta por um atleta que almeja a vitória. Domínio próprio é uma virtude do Espírito Santo das mais sublimes, visto que nenhum conflito humano é tão renhido como o daquelas pessoas que se esforçam para subjugarem-se a si mesmo. Aristóteles dizia que uma vitória sobre si mesmo, sobre seus desejos Próprios, fazia do homem mais corajoso que os vencedores nas batalhas. Domínio Próprio DEVE ser uma prática normal da vida cristã.
Não adianta desgastarmos nos na tentativa de dominarmos os outros, pois enquanto não nos dominarmos a nós mesmos somos apenas escravos dos desejos. Jesus deu-nos exemplos de Domínio Próprio nenhum conflito com Herodes, Lucas 23,6-11, com o Sumo Sacerdote, Mateus 26,63-65 e diante de Pilatos, João 19,8-11, uma Serem exemplos seguidos por tudo o crente cheio do Espírito Santo.
Conclusão:

Nesse estudo sobre o Fruto do Espírito Santo, vimos que tal Fruto é o caráter de Cristo em nós, manifestando a plenitude do Espírito Santo nossas vidas em, na comunhão com Deus, nas relações interpessoais e nas relações com nosso próprio interior.Se praticarmos o Amor, a Alegria, a Paz, a Longanimidade, a benignidade, a Bondade, a Fidelidade, uma Mansidão eo Domínio Próprio, seremos bênçãos de Deus para o mundo e seremos abençoados apesar de vivermos em mundo conturbado. Não podemos esquecer que a Bíblia orienta que não há lei que POSSA se impor sobre os que praticam essas virtudes. Não há código penal que Atinja o cristão cheio de Espírito Santo e não há sistema ético que condene um salvo que busca refletir a glória de Deus. Quem não vive fluir do Espírito tem vida em Deus e sua conduta é sempre pacificadora e conciliadora. O cristão que entende e que procura colocar em prática tais virtudes é sempre um cristão equilibrado e vencedor. É sempre uma benção para sua igreja e para o Reino de Deus.
Amém! LIÇÕएस BÍब्लिकास 1º त्रिमेस्त्रेस दे २००७ एडिटर
CPAD